Quem somos

Minha foto

Somos duas pessoas que através de uma linda jornada dentro do eu, fruto de um trabalho terapeutico maravilhoso ficamos encantadas com as próprias descobertas, resultados e cura, esse conjunto de coisas aconteceu como consequência de uma conexão honesta, sólida e humana entre terapeuta e paciente. Diante de tantas alegrias e descobertas fomos movidas a por um sentimento de comprometimento pelo próximo, que nos levou a criar este blog, para que vocês usufruam e apliquem em suas vidas (se lhes for útil) nossas metáforas, imagens e meditações. Aproveitem!
Com carinho,
Clarissa e Keli

domingo, 27 de janeiro de 2013


Keli,

Você usou o termo certo para descrever o Watsu, você disse: -“o watsu é uma metáfora da vida”.


Nada me colocou tanto no momento presente.

O deixar a energia fluir, como se flui na água.

Trocar amor em forma de um toque puro e sutil feito de coração para coração, como devem ser construidas TODAS as relações da vida. Lembrando que toques podem ser toques no corpo e toques na alma.

Aceitar a vida como um abraço e sentir-se abraçada por ela.
Sentir a vibração do abraço em tudo na vida.

Confiar que os nossos corpos flutuam na água, que a água nos sustenta, assim como Deus nos sustenta, confiar que a água tem um papel nesse momento, movimento e vibração, compreender o ritmo da água acompanhá-la, sentir a vida da água.

Não esperar nenhuma reação de quem recebe ou aplica a técnica, simplesmente aceitar, evitar o julgamento.

Permitir o movimento do corpo e ter um momento com Deus, sem estress, preocupação, expectativas, ilusões, padrões, sem a presença do tempo ou da forma física...simplesmente ser, elevar-se.

Só pode que essa técnica é um presente  do próprio criador para nós, por que se não fosse assim, como produziria este efeito em nós? E só podia ter ganhado forma nas mãos de uma pessoa tão especial como Harold Dull. Assim como, não existem dois Mozarts, dois Van Goghs, não haverá outro mestre do movimento como Harold, que Deus continue o abençoando....

Eu como uma pessoa muito afortunada, conheci pessoalmente o Harold e pude experimentar o watsu das mãos dele, mas em um momento de descontração, perguntei ao Harold:-“ o que você gostaria que aprendêssemos, o que você gostaria de deixar para nós?”ele respondeu: -“o sentir deste abraço, deste aconchego”

Eu disse:-“você gostaria que as pessoas se abraçassem mais?”

Harold disse: -“não, não abraço como uma obrigação, mas simplesmente estar aberto para o abraço”.

Senti que ele sonha em movimentar nas pessoas o sentimento, a vibração do abraço para que isso flua levemente, sutilmente, amigavelmente entre as pessoas.

Queria dizer para o Harold, que ele conseguiu movimentar essa energia em mim pois, saindo do curso e indo ao aeroporto senti como se ninguém me fosse estranho, que todos poderiam se aproximar sem nenhum sentimento de aversão, medo, constrangimento isso foi muito gostoso, sentir como se todos fossemos Um, o que realmente somos!
Na verdade escrevi isso,  pois tenho uma profunda necessidade de compartilhar o que vivi, mas as palavras são pequenas perto do universo de amor que deslumbro a minha frente que se concretizou no meu coração através do watsu.

Claro, que não teria a sensibilidade de perceber isso, se não tivesse feito um trabalho muito profundo, e se não tivesse galgado importantes degraus na minha tragetória, por isso, mais uma vez e SEMPRE obrigada amiga amada Keli!

Clarissa,

Minha alma sorri para a sua! 

Abraços

Keli

Como não parar de fluir?



 Como não parar de fluir?

...Hoje recebi certas notícias que fizeram me deslumbrar alguns fatos de um futuro próximo não muito agradável...coisas do dia-a-dia, de pessoas que estão aptas a derrubar em poucos segundos o que você leva uma vida para construir...enfim.... não vem ao caso. Tive um breve segundo de melancolia, um pouco de raiva e indignação, mas depois lembrei que isso poderia ser resistência ao momento presente, fruto de um impulso do ego de querer controlar tudo, então simplesmente pensei:-“o ego não vai tomar conta dessa situação, não posso permitir isso”, “Deus cuidou de mim até então, não irá falhar agora, por que devo me preocupar?”, outro pensamento que tive foi: -“quero continuar fluindo”, não vou trocar a sensação de fluir pela sensação de indignação que o ego quer me proporcionar, lembrava do watsu e continuava fluindo.
Fiquei feliz comigo mesma de utilizar essa estratégia, deu certo! Fica a dica...

Fluir, flutuar livremente...


Fluir, flutuar livremente...

Minha missão desta semana está sendo essa desafiadora tarefa de flutuar livre, deixando fluir e ao mesmo tempo estar 100% presente. Parece a prova real do que estamos trabalhando até então, não é mesmo, Keli?

Flutuar fluir para mim é fácil, mas A PRESENÇA é mais desafiadora.

Mas como hoje tive a oportunidade de estar nos braços de criador do método watsu no mundo (Harold Dull), consegui ficar 100% presente e a conclusão desse episódio para mim, é que Deus é O momento, é  o instante é o segundo, ELE É!

Eu senti no momento presente satisfação, plenitude, amor. Para que todos entendam o  método é só clicar no vídeo abaixo:


Bom...continuando...uma técnica com tamanha sutileza e serenidade só pode vir de uma pessoa serena, o Harold o é! Ver ele praticar watsu é como se ele conversasse com a vibração do corpo da pessoa, com uma linguagem que sai do corpo dela, ele se delicia e as coisas acontecem na água, e ele ensina que devemos respeitar o limite do corpo da pessoa no movimento e respeitar nossos próprios limites, também ensina que ao encostar a cabeça na cabeça da pessoa devemos ver as coisas que passam dentro dela, ele diz: - vejam através da cabeça desta pessoa, o que tem ai? Há muito para ver, não tenham pressa....

QUE LINDO e LOUCO!

Eu nunca pensei que se pudesse ver de olhos fechados...e quando ele diz para confiar na água deixar que ela trabalhe com a pessoa, que ela faça e para sermos apenas intermediários.... outra coisa que me tocou também foi que algumas vezes ele pede apenas para balançar na água e sentir o ritmo da água...meu Deus!

 Agora eu vejo o quanto o mundo perdeu deixando o carinho, a ternura e o toque de lado, maliciando tudo...que pena!!! Como isso me entristece, eu quero ser muito mais carinhosa...

Ontem vivi algo que poucas pessoas terão a oportunidade de viver na vida. Depois do longo dia de treinamento e vivencias de watsu, os abraços e carinhos saudáveis surgem, então meu colega começou a aplicar em mim manobras do watsu e outro colega também, eu agradecia a Deus pela sensação de mãos curativas estarem trabalhando o meu corpo, me elevando a outro nível e provocando meu corpo sensações inigualáveis e com meu coração agradecia e perguntava a Deus qual a mensagem daquele momento em que me sentia num bercinho de bebe, sem nome, sem idade, sem expectativas? Então, qual a mensagem? Deus, fez com que eu sentisse no meu coração:- seja abençoada! E eu aceitei

E keli, em outro momento eu tive uma impressão de uma casquinha de ovo que se integrava de volta e se fundia como se fosse intacta esse foi o momento da reintegração total.

Bjs,

Clarissa



Clarissa,

Chega um momento na nossa vida que descobrimos que somos mestres de nós mesmos e entendemos o que realmente Deus queria que fizéssemos. Voce está neste momento da sua vida!

Abraços e muitos sorrisos!

Keli

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

INTEGRANDO AS PARTES


Keli,

Oi, a meditação do vaso quebrado, mexeu mais profundamente comigo, do que eu imaginava, você falava das partes que se juntavam e do vaso novo e tudo mais...com essas metáforas presentes no meu inconsciente e com o ho-oponopono, consegui conectar vários episódios na minha vida, isso aconteceu como se fosse uma reintegração de experiências no meu coração, alma e uma clareza, lucidez e  serenidade tomaram conta de mim.

Uma das minhas reintegrações foi o entendimento do momento em que parei de agradecer de coração a Deus pelas coisas. Eu tinha o hábito de toda vez em que tomava banho, eu agradecia à Deus a parte do meu corpo que estava ensaboando e era muito bom, um dia me concentrei muito no meu tornozelo, eu cheguei a dizer:-“ Ninguém da bola para o tornozelo, mas ele é tão importante, obrigada Deus pelos meus tornozelos” neste momento senti um imensa gratidão. E no outro dia, o que aconteceu? Quebrei o meu tornozelo brincando na grama com uns amigos em um dia de chuva. Mas, o tornozelo “esmigalhou” quebrou em vários pedacinhos, resultou em 3 procedimentos em bloco cirúrgico e mais uma cirurgia está por vir. Muito incomodo, noventa dias sem colocar o pé no chão, usando muletas e quase perdi o semestre de faculdade....chorei muito, meu coração ficou em migalhas como o meu tornozelo e numa decisão de fraqueza e  resolvi parar de louvar a Deus  e fiquei com medo de agradecer o que valorizava.
Disse ao médico depois de tirar o gesso: -“Dr., meu pé ficou certa limitação no movimento”. E ele respondeu: -“ Dê graças à Deus que você conseguiu ter novamente todos os movimentos do seu pé, nós conseguimos religar todos os ligamentos e pedacinhosde ossos quebrados.”

Isso ficou guardado no meu coração por anos e até conseguia louvar a Deus, mas com certas reservas, então depois das meditações e leituras, consegui elaborar uma coisa: se não tivesse agradecido à Deus, no dia anterior eu teria perdido meu tornozelo e pé.

Acho que não preciso dizer mais nada. Mas, me lembro também que uma amiga-irmã minha me ligou e disse: “tenho certeza que aconteceu isso, para não acontecer coisa pior”.
Eu aceitei tudo isso, muitos oraram por mim, isso também ajudou, mas, por que não entendi completamente todos esses recados e sinais naquele momento? Por que somente anos depois fui integrar todas essas partes?

Clarissa querida,

Voce só foi entender muito tempo depois porque tudo vem a seu tempo, compreendemos quando estamos maduros para compreender. Tudo acontece como tem que acontecer. A  semente brotou quando tinha que brotar e florescer e abrir em botão e depois em rosa.

Isto me fez lembrar as palavras de Milton Erickson:

"Às vezes cometemos erros certos,
por motivos errados.
E às vezes cometemos erros errados,
por motivos certos.

E alguns desses erros, que agora são certos, 
podem ser errados, depois de algum tempo.
E alguns erros errados agora,
podem parecer certos mais tarde.

E algumas das compreensões de agora, 
que não podem ser compreedidas mais a frente,
só poderão ser compreendidas
muito tempo depois.
... somente esperando."

Abraços no coração.

Keli
P.S: Segue a meditaçao: 



sábado, 5 de janeiro de 2013

O BISTURI DA COMPAIXAO


Keli,

Estou praticando MUITO e diariamente o bisturi da compaixão, percebo como, o perdão a compaixão é mais fácil de ser praticada com os outros, do que conosco, entender os deslizes dos outros é de certa forma fácil, mas aceitar que eu deslizo! Meu Deus, o ego reclama MUITO.

Mas, pude perceber também que tenho que aplicar o bisturi muito mais vezes por dia comigo mesma do que com outros! Incrível! Pois meu ego vivia me dizendo que a culpa era dos outros, que os outros me irritavam....sabe? Agora vejo que não é bem assim, tenho que ter muita paciência comigo mesma!

O ego, egoísmo, nos leva a uma cegueira total e para tirar essa cegueira não é fácil! Preciso de muito bisturi! Diariamente!

Vi que não adianta aceitar um conceito como verdade, é preciso praticá-lo, não é? Por exemplo, aceitar a compaixão é fácil, praticá-la é difícil e desprende muita energia.

Mesmo se eu saísse fazendo caridade por aí e não tivesse o entendimento do que é realmente compaixão, não seria completo....adiantaria....seria bom também, mas não seria pleno, né?

Outra coisa que pensei em relação a isso, é que sinto uma certa frustração de não ter internalizado tão plenamente esse conceito antes, minha vida seria diferente, talvez tivesse usufruído mais e tido menos problemas e mais alegrias, menos brigas. Por que não fiquei pronta antes? Mas, ao mesmo tempo tenho o pensamento que vem em forma de resposta, que é assim: - não temos como internalizar tudo ao mesmo tempo e nem estar pronta! Nunca estaremos! As coisas são reveladas aos poucos, sei que mesmo querendo e conhecendo o conceito da compaixão não estava pronta para conhecê-lo na integra. Por que não sei e também não sei o que destravou a porta que abria para a sala da compaixão. Também, não podemos saber tudo, só sei que se estou aprendendo estou no caminho certo, o que mais quero é que Deus me ensine!

Bjs

Clarissa



Clarissa querida,

Somos seres de hábitos e para instalar um habito é preciso repetir o novo comportamento todos os dias até que ele passe ao piloto automático. Como disse Aristóteles, ¨a repetição é a mãe da sabedoria¨. O processo de mudança parece seguir alguns passos:

INCONSCIENTE – SEM HABILIDADES
CONSCIENTE - SEM HABILIDADES
CONSCIENTE – HABILIDOSO
INCONSCIENTE – HABILIDOSO

Vou explicar cada um deles para ficar mais claro onde quero chegar com esta ideia:

INCONSCIENTE – SEM HABILIDADES

Esta é a fase em que não temos consciência da necessidade de mudança e portanto não desenvolvemos as habilidades para tal. Por exemplo, penso que as pessoas são culpadas por determinadas coisas, me irrito, me sinto magoada, triste, não enxergo que o poder de mudança está em minhas mãos e portanto não sou capaz de fazer o que precisa ser feito para resolver as questões.

CONSCIENTE - SEM HABILIDADES

Esta é a fase em que percebo que algo não vai bem, não está funcionando e começo a me tornar consciente que preciso mudar, que o poder está em minhas mãos, que a responsabilidade é minha e isto pode causar ansiedade, angustia porque ao mesmo tempo que sei que sou responsável, não tenho desenvolvidas as habilidades para mudar o que preciso mudar. A boa noticia é que ¨temos dentro de nós tudo que precisamos para resolver os problemas¨ e quando nos tornamos conscientes, podemos ter acesso a estes recursos. Seguindo o exemplo, nesta fase nos damos conta de que todos estamos em processo de evolução e aprendemos de maneira e em ritmos diferentes, que não podemos mudar os outros e sim a maneira como os vemos, como interagimos com eles. 
Se entendemos compaixão como a capacidade de aceitar o processo exatamente como ele ocorre e quando ocorre, o seu e o dos outros, compaixão significa olhar e sentir o que acontece com amor, sem querer controlar as coisas, sabendo que tudo tem seu tempo. Uma flor não nasce mais rápido ou mais devagar porque pensamos que deveria florescer mais lentamente ou mais rapidamente.  A natureza da qual somos parte nos ensina a compaixão de uma maneira simples e real. É deixar fluir e seguir o impulso desta energia, sem julgar, sem comparar, sem condenar. Simplesmente aproveitando cada momento para aprender, para transformarmo-nos  em pessoas melhores. E com estes conhecimentos vamos desenvolvendo as habilidades necessárias, aprendendo a fazer diferente e passamos para a fase seguinte.

CONSCIENTE – HABILIDOSO

Esta é a fase do treinamento, da repetição da nova forma de ver, de sentir, de agir.  Esta etapa não é fácil porque percebemos as coisas com mais clareza, nos deparamos com as dificuldades de agir de maneira diferente. É hora de ¨orar e vigiar¨ como nos ensinou Jesus. Precisamos de disciplina para continuar usando o bisturi da compaixão. A primeira compaixão, e a que garante ter compaixão pelo outro, é a por si mesma. Vigiar todo o tempo para não voltar ao padrão antigo  requer muita energia, mas só no começo porque depois de treinar e treinar e treinar atentamente passamos para a fase em que não precisamos mais pensar para atuar de acordo com o novo habito porque passa para o piloto automático.

INCONSCIENTE – HABILIDOSO

Nesta fase agimos respeitando o processo exatamente como ocorre, no tempo em que ocorre e de uma maneira natural porque já faz parte de nosso modelo mental, de nosso sistema de crenças e nos guiamos assim, sem esforço e habilidosamente.

Se tudo acontece a seu tempo e da maneira que precisa acontecer, estar pronta antes só seria possível se fosse o momento de estar pronta.  É como a historia que te contei dos meus girassóis no jardim. Eu sempre plantava sementes de girassol e depois de um tempo, como viajava muito a trabalho, parei de plantar as sementes. Um ano depois que tinha parado de plantar, um dia quando abro o portão vejo um lindo girassol florescendo... Pensei que havia sido minha secretária, mas não tinha sido ela... a semente ficou ali adormecida um ano e só floresceu no seu tempo, provocando um sorriso em mim. Tudo acontece no tempo que tem que acontecer e nossa alma pode educar nosso ego, a medida que vamos eliminando o medo e deixando o amor entrar e nos curar. E para finalizar com chave de ouro um pouco mais de Jesus: ¨Ama ao próximo como a ti mesmo!¨

Abraços no coração querida.

Keli

Keli,

Assisti um documentário sobre o abajour de pele humana e havia neste documentário, muitos relatos do holocausto, e fiquei pensando, como pode um homem convencer uma nação inteira de que o horror é aceitável? De que o terror pode e deve ser praticado? Isso é terrível! Causa náusea! 

Então, impossível não lembrar, do próprio Satanas e uma das explicações de como ele surgiu, foi que o teria atentado contra Deus e tido a pretensão de ocupar o lugar de Deus. Realmente, é muita petulância um ser que conhece o céu, que conhece intimamente o próprio Deus e ainda assim, discutir uma postura de Deus!

Petulância é argumentar uma ordem de Deus! Mas infelizmente, faço isso muitas vezes, quando penso que não tenho o que deveria ter, quando penso que minha vida TERIA que ser diferente, quando me sinto injustiçada por Deus, quando queria que minha vida mudasse instantaneamente..... Triste, muito triste saber que também faço isso, em proporções menores, MUITO menores. Certas verdades doem muito....


Clarissa,

O ego é o que nós pensamos e acreditamos ser e esta crença de que somos o ego nos impede de enxergar mais longe.  Não somos um corpo com uma alma e sim uma alma que vive em um corpo.  Para que possamos vencer os medos e emoções gerados pelo ego precisamos entrar em contato com nossa essência, com a sabedoria da alma que somos que está diretamente conectada com o poder Divino. Aprendemos a nos identificar com o corpo e não aprendemos a nos conectar com quem realmente somos, com o que realmente viemos fazer neste mundo. Nossa identidade se baseia em¨ter¨ e não em ¨ser¨ e é isto que precisamos resgatar: a paz e a serenidade de ser quem somos. Quando fazemos isto não existe espaço para queixas, para insatisfações porque sabemos que cada experiência vem para enriquecer nossa existência e nos fazer melhores. Assim a luta dá lugar ao fluir, ao experienciar a vida com prazer e alegria. Precisamos perceber de maneira profunda nossa identidade espiritual, nossa conexão direta com Deus.

Eu tenho que urgentemente aprender a ser mais resignada, me sentir menos vítima, vencer mais batalhas diárias contra o meu ego! Me sinto andando em um caminho pedregoso, mas necessário para mim, o caminho não pode ser para sempre assim, cheio de obstáculos, ele vai ter que ser mais plano daqui uns dias, ao menos para eu saber que estou no caminho certo e que estou plantando as sementes certas e colhendo-as.


Voce já está no processo de aprendizagem, já tem os conhecimentos necessários e pode acessar todos os recursos internos para deixar o rio da vida fluir sem estanques. Toda vez que estiver sentindo medo, raiva, tristeza, frustração é porque o ego tomou o comando, então gentilmente peça licença e diga a si mesma: Ego querido te agradeço mas a verdade é que fé significa confiar firmemente nos caminhos saudáveis da vida, em Deus e eu opto por isto, sou grata por me ajudar a fortalecer a minha fé! Tudo está bem em meu mundo, tenho tudo que preciso e posso vencer todos os desafios, seja o que seja! 

Cada pedra do caminho nos serve para subir e ver mais longe, nos serve para descansar e mesmo para nos fazer desviar e conhecer novas possibilidades. Somos 100% responsáveis e podemos escolher caminhos, corrigir rotas, mudar e criar nossa realidade como queremos.

Você pode querida! Nós podemos!

Grande abraço

Keli

A entrega


Para mim está sendo muito difícil, então me pergunto por que? Por que não confio em Deus? Por que não entrego meu caminho? O que preciso abrir mão que não quero? O que faço melhor sem Deus?

Fui em busca de respostas e encontrei algo:


Se vir este trecho do filme, a resposta é bem clara, preciso abrir mão das minhas ilusões... Mas, as vezes, sinto que elas são tudo o que tenho...ilusão.
Como mais poderia chamar isso pelo que estou passando? Desapego? Amadurecimento? Não sei, mas sei que dói e é difícil.

Mas, treinando e treinando quero chegar ao ponto de simplesmente viver, como uma criança, sem passado e sem sofrer com o futuro. Isso me trará o que exatamente? Paz? Conforto? Outros diriam letargia? O simplesmente a sensação de EXISTIR!

Eu escolhi este caminho de abandonar minhas ilusões, sinto que vai dar certo e é por aí que devo ir, afinal ninguém consegue escalar uma montanha carregando uma mudança, ou até mesmo mochilas pesadíssimas. Não é possível alçar vôo com os pés amarrados.
Ai vai, um trecho de um filme que mostra onde me questiono e tropeço para chegar lá. Reparem na luta do ego ( eu quero), com a entrega do caminho.

Sei que se conseguir me entregar, abandonar o controle, diminuir o ego posso viver bem, apesar das circunstâncias que me cercam eu poderei desfrutar da vida de uma maneira melhor.

Quero acreditar, que mesmo naquele dia, em que acordar deprê, sem vontade para nada, que mesmo assim, eu me entregue as delicias da vida como ela é, muito mais do que sonhos, desejos, realizações e reconhecimentos, quero viver! Voar! Amar TUDO que eu faço em cada instante sem pensar se está valendo a pena ou não, se vai gerar frutos ou não, se poderia ser melhor ou não. Quero sentir cada gota de chuva, quero enxergar cada flor que eu cruzar, quero conhecer mais fundo as pessoas e suas riquezas internas, quero sentir o cheiro da manhãs, dos amigos, do amor, dos chocolates, cappuccinos, sentir a delícia da água refrescante, quero me deliciar com cada dia e cada segundo e se as coisas desagradáveis acontecerem. E acontecem! quero aprender com estas coisas desagradáveis, crescer e estar mais forte e treinada para as próximas batalhas.

Não ter medo do agora!

Clarissa,

Se entregar ao momento presente e confiar na vida é um caminho saudável. Mesmo que coisas ruins aconteçam é preciso ter consciência de que tudo que vem,  vem bem e nos traz uma aprendizagem que nos faz mais fortes, mais maduros e mais habilidosos para enfrentar os desafios da vida! Existem coisas que podemos controlar e coisas que não e saber diferenciar entre as duas nos ajuda a manejar nossas vidas de maneira assertiva.  A oração da serenidade é perfeita e se encaixa muito bem aqui:


E para finalizar transcrevo o principio 90/10 de Stephen Covey  pois pode ajudar muito a compreender que somos nós que decidimos como vamos nos sentir frente as situações e como atuar na vida:

O PRINCÍPIO  90 / 10   -   Stephen Covey 
10% do que acontece na sua vida são impostos pela vida e os outros  90% estão relacionados com a forma como você reage ao que se passa. Qual o significado disto? Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos ocorre. Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase, que o semáforo fique no vermelho. Mas, você é quem determinará os outros 90%. Como? Com sua reação. 
Exemplo: você está tomando o café da manhã com sua família. Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho. Você não tem controle sobre isto. O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação.
Então, você se irrita. Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar. Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa. E tem prosseguimento uma batalha verbal. Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola. Sua esposa vai pro trabalho, também contrariada. Você tem de levar sua filha, de carro, pra escola. Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado. Depois de 15 min. de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra, sem se despedir de você. Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu de sua maleta. Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso pro dia acabar e quando chega em casa, sua esposa e filha estão de cara fechada, em silêncio e frias com você.  
Por quê? Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã. Por que seu dia foi péssimo?
        A) por causa do café?
        B) por causa de sua filha?
        C) por causa de sua esposa?
        D) por causa da multa de trânsito?
        E) por sua causa?  
A resposta correta é a E . Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café, mas o modo como você reagiu naqueles 5 minutos foi o que deixou seu dia ruim.
 O café cai na sua camisa. Sua filha começa a chorar. Então, você diz a ela, gentilmente: "está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado". Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus. Dá um sorriso e ela retribui, dando adeus com a mão.  Notou a diferença? Duas situações iguais, que terminam muito diferente. Por quê? Porque os outros 90% são determinados por sua reação.  Aqui temos um exemplo de como aplicar o Princípio 90/10. Se alguém diz algo negativo sobre você, não leve a sério, não deixe que os comentários negativos te afetem. Reaja apropriadamente e seu dia não ficará arruinado.  Como reagir a alguém que te atrapalha no trânsito? Você fica transtornado? Golpeia o volante? Xinga? Sua pressão sobe? O que acontece se você perder o emprego? Por que perder o sono e ficar tão chateado? Isto não funcionará. Use a energia da preocupação para procurar outro trabalho. Seu vôo está atrasado, vai atrapalhar a sua programação do dia. Por que manifestar frustração com o funcionário do aeroporto? Ele não pode fazer nada. Use seu tempo para estudar, conhecer os outros passageiros. Estressar-se só piora as coisas...  
Você se surpreenderá com os resultados ao usar o Principio 90/10 e não se arrependerá de usá-lo. Milhares de pessoas estão sofrendo de um stress que não vale a pena, sofrimentos, problemas e dores de cabeça.

Abraços

Keli

Ocorreu um erro neste gadget