Quem somos

Minha foto

Somos duas pessoas que através de uma linda jornada dentro do eu, fruto de um trabalho terapeutico maravilhoso ficamos encantadas com as próprias descobertas, resultados e cura, esse conjunto de coisas aconteceu como consequência de uma conexão honesta, sólida e humana entre terapeuta e paciente. Diante de tantas alegrias e descobertas fomos movidas a por um sentimento de comprometimento pelo próximo, que nos levou a criar este blog, para que vocês usufruam e apliquem em suas vidas (se lhes for útil) nossas metáforas, imagens e meditações. Aproveitem!
Com carinho,
Clarissa e Keli

sábado, 8 de dezembro de 2012

VOMITE SEU COQUINHO!


O que significa, na nossa vida, vomitar um coquinho?


Um certo pecuarista, uma vez me contou que, as vezes, as vacas comem, sem querer, algum coquinho no meio do capim que estão pastando, então ela não consegue digerir o coquinho, pois o estômago delas não é preparado para isso, o que acontece?

A vaca faz um processo no estomago dela, que ela acaba tendo que vomitar o coquinho, se não, ela passa muito mal ou até morre.

Essa história construiu a metáfora de que quando temos algum sentimento ruim, que não queremos ou não conseguimos metabolizar, temos que acabar despejando este conteúdo emocional, de uma forma ou outra, para que consigamos ficar bem, melhorar e não “morrer”, por causa daquele conteúdo ruim, chamado por nós de “coquinho”.

Então, eu e a Keli, usamos este termo “vomitar o coquinho”, ou tenho que “vomitar o coquinho”, ou  “vomitei um coquinho”quando algum desabafo, ou  solto algum conteúdo emocional que estava me causando mal estar.

Você pode usar também esse termo quando você não quer segurar dentro de você algo que te faça mal, VOMITE SEU COQUINHO!!!!


Rir faz bem à saúde e portanto vamos fazer bem a nós mesmos agora... 

Vomitando o coquinho


 O que é vomitar o coquinho?

<!--[if !vml]--><!--[endif]-->
Para quem não sabe, isso é um coquinho:



<!--[if !vml]--><!--[endif]-->E isso é uma vaca:

   <!--[endif]-->Vaca comendo o coquinho sem notar:


Vaca passando mal:


  Vaca vomitando:




Coquinho vomitado:








Nariz de palhaço para dias tristes!



Keli,

Hoje em meio a um estado de profunda tristeza lembrei de um trecho do livro do Patch Adams, “o amor é contagioso”, onde ele relata a história de um interno que passara muitos dias ou meses em coma, não sei e a equipe de enfermagem, os visitantes da UTI, todos enfim,começaram a olhar este paciente com pena e pesar, o Patch viu que aquele sentimento que o interno recebia de todos ao seu redor não iria ajudar, em nada a recuperação dele. Entao Pach colocou um nariz de palhaço no paciente acamado e inconsciente, o que aconteceu? muitos nao continham o riso e todos enfim, quando olhavam para ele riam, nao pensando mais na situaçao ruim que ele se encontrava, mas no nariz de palhaço. A energia em torno daquele paciente melhorou e este saiu do coma. 

Quem sabe a gente nao tem que colocar um nariz de palhaço nas tragédias da nossa vida?

Também lembrei de uma música infantil que diz assim: 

¨Ria de voce mesmo  nao importa o que. Ser muito sério faz mal a voce, é melhor sorrir do que ter que chorar e a todos voce pode alegrar¨. 

E o legal é que descobri que tenho um anjo palhaço que cuida de mim lá no céu e uma psicoterapeuta palhaça e isto faz com que eu sinta que minhas emoçoes tenham mesmo sentido! 

Meu coraçao se enche de alegria só de pensar no que aconteceu depois:

Keli:

Tenho que confessar que seu e mail me emocionou muito. Te ver sair de um estado de profunda tristeza e desalento, sair da sombra para a luz me faz acreditar mais nos caminhos saudáveis e nos presentes que a vida, a parte de ser dura, nos dá.

Te envio uma foto que tirei agora para te mostrar o quanto compartilho de suas idéias!

Keli 





Agora toda vez que ligo o computador sorrio pois esta foto está em meu desktop. 




Clarissa

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

CLICK



Keli,
Se eu parar pra pensar um pouco, não tem como não me render a uma vida mais relaxada, eu sinto a necessidade disso! 
Sinto que preciso, mas não sei como fazer, como passar do modo     (passe para frente),  para o slow motion? Ou modo normal? 

 Eu quero curtir cada momento  da minha vida, na verdade cada segundo e vejo que não tem lógica que eu fique sempre a mil por hora, mas minha mente foi feita para andar em “modo avançado”, eu sou hiperativa e todas as pessoas assim tem pensamentos acelerados, mas quero curtir cada momento, o agora!

A ilustração desse sentimento veio em minha mente em forma de metáfora!

Você já assistiu o filme click no qual o Adam Sandler que interpreta Michael Newman, um arquiteto que ganha um controle remoto da sua vida e com este consegue passar para frente de forma rápida, tambem consegue parar, ir em camera lenta?

Então, nesse filme eu  percebi bem a sensação de estar passando a vida de forma rápida, sem degustar cada momento, nao quero isso pra mim. Nao quero viver  “vendo o mundo a passar sem ter passado e a vida inteira inutilmente morta!” (J. G. de Araujo Jorge), claro que o poeta usou essas palavras em outro contexto, mas elas cabem tão bem aqui! 

Com este insight decidi que vou lutar contra a minha natureza, para desfrutar melhor desta vida, com tudo que ela tem de bom e de .... não tão bom assim.

Qual instrumento que pode me ajudar? O que posso fazer? O que a pscicologia tem para me ajudar com isso?

Da minha parte, vou tentar conscientemente baixar a velocidade e lembrar do filme Click, que me ilustrou o que podemos ter como conseqüência, se eu não diminuir o ritmo.





Clarissa,

Se a idéia de relaxar te parece irresistível este é um sinal de que está no seu caminho com coração.  Em um de seus livros  Castañeda  cita um ensinamento de seu mestre:

¨Tudo é um caminho entre um milhao de caminhos. Portanto, voce deve sempre manter em mente que um caminho nao é mais do que um caminho: se achar que nao deve segui-lo, nao deve permanecer nele, sob nenhuma circunstancia... Para ter uma clareza é preciso levar uma vida disciplinada. Só entao voce saberá que qualquercaminho nao passa de um caminho, e nao há afronta, para si nem para os outros, em largá-lo se é isso que o seu coraçao lhe manda fazer. Mas sua decisao de continuar no caminho ou larga-lo deve ser isenta de medo e ambiçao. Eu lhe aviso. Olhe bem para cada caminho e com propósito. Experimente-o tantas vezes quanto achar necessário. Depois pergunte.se só a si uma coisa: - Tem coraçao este caminho? Todos os caminhos sao os mesmos: nao conduzem a lugar algum. Sao caminhos que atravessam o mato ou que entram no mato... Tem coraçao este caminho? Se tiver, o caminho é bom, se nao tiver, nao presta. Ambos os caminhos nao conduzem a parte alguma: mas um tem coraçao e o outro nao. Um torna a viagem alegre, enquanto voce o seguir, será um com ele. O outro te fará maldizer sua vida. um o torna forte, o outro o debilita¨.

E na caminhada da vida vivemos um mix de emoções, sofremos traumas, sentimos dor, sofremos e aprendemos que temos que correr, que temos que fazer rápido, que temos que cumprir o que viemos a cumprir neste mundo e de maneira rápida e sofremos mais e mais com isto... Apertamos o botão  (passe para frente), as vezes para que as coisas que desejamos aconteçam rápido, as vezes para não sentir dor, e em outros momentos apertamos o botão 


(voltar ou para trás) para  recordar o que nos fez mal e não permitir que nos machuquem mais, seja qual for o motivo, isto nos desconecta da nossa fonte, do nosso centro e ficamos confusos, flutuando ora no passado ora no futuro acelerando para trás e para a frente, sem saber como apertar o



(play – momento presente). E existe um recurso natural e poderoso que nos ajuda a sintonizar com o aqui e agora e usufruir a vida saudável e prazerosamente. Este recurso é a respiração. Respiração é vida, crescimento, aprendizagem. Quando prestamos atenção a nossa respiração somos capazes de acalmar nossa mente e corpo, de sentir que, como escreveu Heraclito, ¨a única coisa permanente na vida é a mudança¨.  Através da respiração nos centramos e podemos acessar todos os recursos para viver em paz e felizes.  Prestar atenção a respiração é uma maneira de fazer com que nossa mente se coloque no momento presente. 

A mente é como uma criança que precisamos educar com amorosidade, com calma, mas também devemos ensinar que existem limites importantes a serem respeitados, como a qualidade e a velocidade de nossos pensamentos, por exemplo.  

Fazer escolhas no aqui e agora: 

O que eu realmente quero? 

Que pensamento me faria sentir melhor?

Quanto a lutar contra a sua natureza querida, o que posso te dizer é... Por favor não faça isto... Não lute contra a sua natureza porque ela é perfeita, entregue-se a ela, perceba todos os pontos positivos, use-os ao seu favor... Como fazer isto? Centrando-se, entrando em conexão com o seu centro, isto significa ¨Sentir o que precisa fazer no momento que precisa fazer, respeitando o seu entorno¨... 

Temos dentro de nós tudo que precisamos, apenas decida estar em conexão consigo mesma, respire, relaxe e sinta o que o seu corpo te diz, o que te diz seu coração.  E em segundos estará de volta ao seu caminho com coraçao.

A vida é linda, mas é dura também, sabemos disto, mas como escreveu Cora Coralina ¨Eu  sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores¨... Remover pedras nos faz fortes e plantar flores nos faz feliz.


Ao longo do caminho pergunte a si mesma: Quem sou eu? e deixe que a sua parte mais sabia te responda...  Despreocupe-se pois a resposta não virá em palavras, mas te moverá em direção a onde precisa ir e o que precisa fazer...  Você se surpreenderá com a sabedoria, serenidade e calma que emanam do seu ser e como disse Fernando Pessoa... 

¨Sejamos simples e calmos como os regatos e as árvores e Deus amar-nos-á fazendo de nós belos como as árvores e os regatos¨...

Abraços e meu sorriso.

Keli





Ocorreu um erro neste gadget